‘Desdobras‘, mostra individual de Ayao Okamoto, “um artista plástico brasileiro essencial“ - São Paulo São

Para quem aprecia as artes plásticas, vale a pena visitar a exposição individual Desdobras, de Ayao Okamoto, no Espaço Cultural Humanar, uma  nova opção multicultural da Barra Funda.

Com trajetória consistente, esse nipo-brasileiro nascido em Assaí, Paraná, fez sua primeira individual em 1985 e não parou mais. Para essa mostra reuniu trabalhos recentes e outros de alguns poucos anos atrás, compondo um conjunto de pinturas e desenhos apurados, que utilizam técnicas distintas e formam um mosaico artístico bom de ver e sentir.

Sou amigo do Ayao Okamoto há 36 anos. Juntos percorremos os corredores e as escadarias da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), e durante um bom tempo integramos o mesmo time de futebol de salão, no qual ele exercia a função de atacante fixo na linha de frente, à espera de uma oportunidade de gol.

Sempre admirei o seu talento em lidar com os pincéis, tintas, colagens e, principalmente com o papel de arroz, uma matéria-prima de suporte que o acompanha em quase todos os seus percursos criativos.

Pintor dedicado e bairrista é capaz de permanecer horas no ateliê da Rua Prof. Alfonso Bovero mergulhado em uma tela até conseguir atingir o resultado esperado. Avesso a modismos, utiliza as pinturas e os desenhos como canais de expressão, e também como mecanismos por meio dos quais se posiciona diante das circunstâncias desses nossos tempos.

Avesso a modismos, Aya utiliza as pinturas e os desenhos como canais de expressão. Foto: Leno Silva.Avesso a modismos, Aya utiliza as pinturas e os desenhos como canais de expressão. Foto: Leno Silva.

Como complemento às obras disponíveis para visitação, um vídeo “feito em casa” captou um pouco do dia a dia do artista na sua “oficina” de trabalho. Um ingrediente extra para quem tem curiosidade em vê-lo com a “a mão na massa”.

Palavras de Ayao Okamoto sobre o conceito desta sua nova exposição: “Desdobras é um contínuo ato de dobrar e desdobrar formas de interação entre o artista e o conjunto das criações. Pensar a dobra, a redobra e a desdobra significa a tentativa de se propor poéticas visuais. Criar espaços e formas, cores, texturas, manchas, riscos, marcas intencionais/acidentais em processos múltiplos de transformação é a atividade mesma do artista.”

E para finalizar, empresto um parágrafo do texto produzido por Carlos Zibel, Curador, Professor Livre Docente FAU-USP. “A mostra Desdobras, com pinturas sobre telas recentes de Ayao Okamoto, incluindo a bela série de pinturas sobre papel Noturnos da Periferia, em diálogo com uma seleção de obras mais antigas, nos revela um artista ainda mais forte, luminoso e profundo. Um artista plástico brasileiro essencial”.  Por aqui, fico. Até a próxima.

Serviço

Desdobras | Ayao Okamoto
Espaço Cultural Humanar.
Rua Brigadeiro Galvão, 996, Estação Barra Funda do Metrô, SP.
Visitação: até 9 de dezembro de 2017; quartas, quintas e sextas, das 13 às 19 horas; sábados e feriados, das 11 às 18 horas.
Tel.: 11 38071434 e 30473047.
O site do artista: http://www.ayaookamoto.art.br/

***
Leno F. Silva é diretor da LENOorb - Negócios para um mundo em transformação e conselheiro do Museu Afro Brasil. Escreve às terças-feiras no São Paulo São.