Vista Café abre as portas no MAC-USP voltado para o Parque Ibirapuera - São Paulo São

O novo espaço gastronômico da cidade, o Vista Café, foi aberto ao público nesta terça (25) no mezanino do MAC / USP, edifício projetado por Oscar Niemeyer em frente ao parque mais famoso da cidade. O Vista tem capacidade para 70 pessoas, ocupando uma área de 200 m2, sendo uma parte interna e outra no terraço. O novo café oferece opções de pratos para almoço e café, criadas pelo chef paranaense Marcelo Correa Bastos. Só em novembro deve ficar pronto o restaurante, prometido para funcionar na cobertura do edifício, onde será possível desfrutar de uma vista de 360º, que inclui o Parque Ibirapuera.

Como revela o empresário argentino Leo Sanchez, “desde o começo, trabalhamos para criar um espaço diferente. Não dava para, simplesmente, montar uma cafeteria para servir pão de queijo. Nosso cardápio tem muita brasilidade e é inspirado na arte do Museu, na arquitetura de Oscar Niemayer, na natureza do Parque Ibirapuera e nessa que é uma das melhores vistas de São Paulo. Esse é o primeiro passo para a nossa grande empreitada, o restaurante do oitavo andar, que deve ser inaugurado ainda neste ano”.

Ao todo, o complexo gastronômico do MAC ocupará uma área de 2.200 m2, sendo 800 m2 de área coberta e 1.400 m2 a céu aberto, com vista para o Parque do Ibirapuera. Além do café do mezanino, haverá no terraço do prédio um bar, um restaurante com 120 lugares e espaço para eventos.

“Esse é um momento muito especial para o MAC, é o primeiro passo de um projeto para tornar esse museu ainda mais atraente e mostrar para a cidade de São Paulo e seus turistas a coleção extraordinária que esse museu reuniu nos últimos setenta anos. O café e o restaurante do terraço se somarão a uma de nossas principais atrações, que é a vista”, afirmou o diretor do MAC, Carlos Roberto Ferreira Brandão.

O diretor revelou que, além do restaurante, outras inaugurações devem acontecer até o final do ano, como uma loja da Edusp especializada em livros de arte e arquitetura; a Biblioteca Lourival Gomes Machado, que incorporará a coleção Walter Zanini e será uma das maiores bibliotecas especializadas em arte contemporânea do Brasil; e a Loja do MAC, que oferecerá aos visitantes do Museu uma lembrança da visita.

Vista Café: porta de entrada

Entrada do Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC-USP): o edifício antigamente abrigava o Detran-SP Foto: Vista / Garoa Foto / Divulgação.Entrada do Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC-USP): o edifício antigamente abrigava o Detran-SP Foto: Vista / Garoa Foto / Divulgação.

O Vista será dividido em dois locais do Museu de Arte Contemporânea: o Vista Café e o Vista, que abrigará o complexo gastronômico imaginado por Sanchez. A divisão foi elaborada a partir de um plano de negócios da consultoria PricewaterhouseCoopers, que indicou os pontos fortes de ambos os Vistas.

No mezanino, localizado no primeiro andar, haverá o Vista Café. O objetivo dessa área de negócio é focar nos 300 mil visitantes anuais do MAC, que até então não tinham outra opção de consumo dentro do museu. De acordo com o plano de negócios, o Vista Café pretende atingir 15% do público do museu. Será um “café cultural”, diz Sanchez: estantes, haverá livros de arte e arquitetura.

Já o cardápio é definido como “natureba”, para aproveitar o fato de estar colado ao Parque do Ibirapuera e seus muitos esportistas (outro público-alvo do Vista Café). O ticket médio do Vista é de 35 reais.

Vista Restaurante: arquitetura, gastronomia e arte

Ambiente interno do Vista: capacidade para pouco mais de 70 pessoas e mesa coletiva ao centro. Foto: Denise Andrade / Divulgação.Ambiente interno do Vista: capacidade para pouco mais de 70 pessoas e mesa coletiva ao centro. Foto: Denise Andrade / Divulgação.

No oitavo andar do MAC, que é o topo do museu, haverá o complexo gastronômico. Tal complexo contará com restaurante, três bares e um espaço para eventos.

Para liderar a cozinha (tanto do restaurante quanto do Vista Café), o chef paranaense Marcelo Corrêa Bastos entrou no negócio como sócio. Ele lidera hoje o Jiquitaia, restaurante que aposta em ingredientes brasileiros. No Vista também haverá os ingredientes nacionais, mas com uma apresentação mais “artística”, segundo Sanchez.

O restaurante abrirá apenas à noite na semana; no sábado, abrirá para almoço e jantar; e, aos domingos, fará um “brunch” especial. Enquanto isso, os bares oferecerão drinks com “ingredientes esquecidos no país, como os da região Norte”, explica Sanchez, e um deles será especializado em frutos do mar e pratos como o ceviche peruano. 

Sanchez também pretende aproveitar o espaço e a vista do local para realizar eventos externos. O Vista já realizou dois deles, antes mesmo das obras terem sido finalizadas: o Corona Sunsets e The Art of Heineken, ambos das duas cervejarias famosas. O local também foi palco de uma prova do programa “Masterchef Profissionais”, do canal de televisão Band.

Já uma ideia de evento interno é criar, mensalmente, “pop ups” que ligam arte e gastronomia: se o MAC possui acervos de Pablo Picasso, por exemplo, tal exposição pode ser associada ao convite de um chef espanhol para cozinhar jantares beneficentes no Vista.

O foco em eventos, se relaciona ao seu grande destaque arquitetônico: a “modulação” do espaço interno de 850 m². Com tal modulação, o tamanho do restaurante e de um dos bares poderá ser alterado, a partir de paredes retráteis, e isso permite ser sede de eventos de vários tamanhos, internos e externos.

São esperados 780 clientes por dia contando todas as unidades de negócios e descontando o público dos eventos.

Serviço

Vista Café
Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301. Ibirapuera.
Funcionamento: 10h/18h (terça até 22h; fecha segunda).

***
Com informações do Jornal da USP.

 



-->