Causas - São Paulo São

São Paulo São Causas

O Papa Francisco presenteou a Arquidiocese do Rio de Janeiro, representada pelo arcebispo, Cardeal Tempesta, com uma escultura chamada Jesus sem-teto. A obra é do artista canadense Timothy P. Schmalz, e possui exemplares em diversos locais do mundo, incluindo a Itália – a imagem se encontra na entrada da Elemosineria Apostólica, em Roma – e Estados Unidos.

Organizado pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, o evento será realizado na 2ª quinzena de dezembro. Imagem: Reprodução / Web.Organizado pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, o evento será realizado na 2ª quinzena de dezembro. Imagem: Reprodução / Web.

Estão abertas as inscrições para casais homoafetivos que queiram participar da 2ª edição do Casamento Coletivo Igualitário na cidade de São Paulo. Organizada pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, por meio da Coordenação de Políticas para LGBTI, o evento será realizado na 2ª quinzena de dezembro.

"A proposta da cerimônia – realizada pela primeira vez em novembro do ano passado – é dar visibilidade a um direito já conquistado pela comunidade LGBTI, além de promover para esta população (historicamente posta à margem da sociedade) o exercício da cidadania plena", diz comunicado da Secretaria.

O procedimento é realizado de forma gratuita. Para se inscrever, é preciso comparecer a um Centro de Cidadania LGBTI com os seguintes documentos:

Na busca por espaço no mercado de trabalho brasileiro, muitas refugiadas optam pelo caminho do empreendedorismo. Porém, abrir seu próprio negócio requer disciplina em diversas áreas, entre elas, a financeira. A relevância do tema no cenário atual dos negócios motivou a realização em São Paulo, do workshop “Educação Financeira e Empreendedorismo” para as participantes do Empoderando Refugiadas, projeto de Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), ONU Mulheres e Rede Brasil do Pacto Global.

Criado para atender mulheres vítimas da violência doméstica, o programa Guardiã Maria da Penha - parceria entre a Guarda Civil Metropolitana e o Ministério Público de São Paulo - será ampliado. Começaou a funcionar nesta última quarta-feira (24) um aplicativo com função de botão do pânico.


A ferramenta de "socorro imediato", como tem sido chamada, fica dento do aplicativo SP + Segura. Pelo aplicativo, a equipe vai até a casa da vítima, apresenta-se e passa as orientações. Após o primeiro contato e a inclusão no programa, há rondas nos locais onde a mulher se sente ameaçada.