Negócios - São Paulo São

São Paulo São Negócios

Festa escolar comemorativa no Museu do Ipiranga em 1912. Pintura de Augustin Salinas y Teruel.Festa escolar comemorativa no Museu do Ipiranga em 1912. Pintura de Augustin Salinas y Teruel.

O Museu do Ipiranga acaba de lançar uma linha do tempo digital, com vídeos, áudio, imagens e arquivos históricos. Por meio de uma plataforma interativa, é possível explorar os fatos que marcaram a Independência do Brasil e a construção do Edifício-Monumento, bem como a evolução das obras atuais de restauro e ampliação do local. O recurso permite que o usuário veja os bastidores do museu e o cuidado dispensado ao acervo neste período em que permanece fechado.

Desenvolvida em parceria com a plataforma Timelinefy, a linha do tempo do museu é dividida em três momentos: os principais fatos históricos envolvendo a Independência do Brasil e a construção do museu; a cronologia das obras de ampliação e restauro do Edifício-Monumento; o cuidado com o acervo durante as obras. À medida que a obra avança, a linha do tempo será atualizada periodicamente, até a sua conclusão.

Por meio de recursos audiovisuais e ferramentas de conexões entre as linhas, a plataforma possibilita o entendimento das relações entre eventos do passado e do presente, conectando a história do país, do museu, do acervo e das obras atuais em uma experiência interativa. A linha do tempo conta com recursos de acessibilidade, como libras e audiodescrição.

“Ao longo desses quase dez anos em que esteve fechado, o Museu do Ipiranga realizou inúmeras atividades em diversas frentes. Agora, já em contagem regressiva para a reabertura, é fundamental retomarmos esta memória”, comenta a professora Solange Ferraz de Lima, presidente da Comissão de Cultura e Extensão do Museu do Ipiranga. “Com a linha do tempo, o público terá a oportunidade de entender em profundidade a trajetória deste projeto de restauro sem precedentes no Brasil, assim como as diversas frentes de atuação que compõem o Novo Museu do Ipiranga”, conclui.

Todo o conteúdo foi reunido por meio de um trabalho cuidadoso de pesquisa, coordenado pelas equipes do museu. Já a coordenação de pesquisa ficou por conta da pesquisadora Clara Sampaio, da equipe da Timelinefy, responsável pela produção. Para Clara, “o projeto torna possível uma valorização e consolidação da memória e do patrimônio, pois amplia o acesso a essa história. Ao mesmo tempo, contribuirá também para diversificar a experiência dos visitantes, que vão poder conhecer algumas das principais transformações passadas pelo museu ao longo dos últimos dois séculos.”   

A linha do tempo do Museu do Ipiranga é uma das diversas ações da programação que antecede a reinauguração do museu, marcada para setembro de 2022, no Bicentenário da Independência.

Confira a linha do tempo digital neste link.

Museu do Ipiranga

Óleo sobre tela, ‘Independência ou Morte‘, de Pedro Américo, no salão nobre do Museu do Ipiranga. Foto: Rogério Albuquerque.Óleo sobre tela, ‘Independência ou Morte‘, de Pedro Américo, no salão nobre do Museu do Ipiranga. Foto: Rogério Albuquerque.

Fechado desde 2013, o Museu do Ipiranga é sede do Museu Paulista da Universidade de São Paulo, e seguiu em atividade com eventos, cursos, palestras e oficinas em diversos espaços da cidade. As obras de restauro, ampliação e modernização do museu são financiadas via Lei de Incentivo à Cultura. A gestão do Projeto Novo Museu do Ipiranga é feita de forma compartilhada pelo Comitê Gestor Museu do Ipiranga 2022, pela direção do Museu Paulista e pela Fundação de Apoio à USP (FUSP). 

O edifício, tombado pelo patrimônio histórico municipal, estadual e federal, foi construído entre 1885 e 1890 e está situado dentro do complexo do Parque Independência. Concebido originalmente como um monumento à Independência, tornou-se em 1895 a sede do Museu do Estado, criado dois anos antes, sendo o museu público mais antigo de São Paulo e um dos mais antigos do país. Está, desde 1963, sob a administração da USP, atendendo às funções de ensino, pesquisa e extensão, pilares de atuação da Universidade. 

Leia também: 

***
Com informações de Conteúdo Comunicação.

Vista do alto da Rua João Luis Vivez na Vila Mariana, Vila Mariana que lidera levantamento com mais prédios certificados AQUA-HQE no Brasil. Foto: Simon Plestenjak.Vista do alto da Rua João Luis Vivez na Vila Mariana, Vila Mariana que lidera levantamento com mais prédios certificados AQUA-HQE no Brasil. Foto: Simon Plestenjak.

A certificação de sustentabilidade franco-brasileira AQUA-HQE - no Brasil aplicada pela Fundação Vanzolini - é uma das principais metodologias internacionais usadas para avaliar e atestar o desempenho ambiental das construções mundo afora. O mais interessante é que, nesse quesito, a cidade de São Paulo está muito bem posicionada. Inclusive, o bairro Vila Mariana, possui 23 edifícios construídos ou em construção que já receberam o certificado e hoje é o bairro com mais prédios sustentáveis do país. Além disso, a região pode ser considerada uma das mais bem qualificadas nesse aspecto.

Outros bairros da cidade se destacam no levantamento feito pela Fundação Vanzolini, são eles o Tatuapé, em segundo lugar com 16 prédios sustentáveis; em terceiro, a Lapa e a Chácara Santo Antônio ambas com 11 cada; na sequência Perdizes com 8; e Vila Madalena, Vila da Saúde, Jaguaré e Campo Belo com 6 cada.

Edifício Jacarandá, localizado na região da Berrini em São Paulo é exemplo em arquitetura sustentável. Foto: Divulgação. Edifício Jacarandá, localizado na região da Berrini em São Paulo é exemplo em arquitetura sustentável. Foto: Divulgação.

No Brasil o selo atestou mais de 700 edificações prontas ou em construção; cerca de 400 empreendimentos mistos, residenciais ou comerciais; mais de 36 mil unidades residenciais, casas ou apartamentos; o que representa ao todo 14 milhões de m² de área construída.

 IDEA Bagé em Porto Alegre, edifício residencial inovador, com diferenciais exclusivos voltados à sustentabilidade. Foto: Divulgação. IDEA Bagé em Porto Alegre, edifício residencial inovador, com diferenciais exclusivos voltados à sustentabilidade. Foto: Divulgação.As diferentes fases do processo de avaliação da certificação AQUA-HQE para os empreendimentos (pré-projeto, projeto, execução ou operação e uso) baseiam-se em 14 objetivos de desempenho que devem ser atingidos em níveis base, boas práticas e melhores práticas, ultrapassando as exigências que correspondem à regulamentação vigente ou prática corrente, distribuídas equilibradamente em conforto, saúde e baixo impacto ambiental.

Edifício Vista Guanabara projeto do escritório Kohn Pedersen Fox localizado no Porto Maravilha. Foto: Divulgação.Edifício Vista Guanabara projeto do escritório Kohn Pedersen Fox localizado no Porto Maravilha. Foto: Divulgação.

Com 50% das exigências técnicas voltadas às condições ideais de saúde e conforto e 50% aos benefícios ambientais, a certificação ganha a adesão de consumidores e importantes setores da economia brasileira.

A capital francesa, Paris, é considerada uma das cidades globais da sustentabilidade na construção civil, em boa parte, graças à adesão dos empreendedores locais aos critérios AQUA-HQE, que em português significa Alta Qualidade Ambiental.

***
Fonte: AQUA-HQE.

Avalie bem a sua situação financeira para que o empréstimo não venha a prejudicá-lo. Foto: Shutterstock.Avalie bem a sua situação financeira para que o empréstimo não venha a prejudicá-lo. Foto: Shutterstock.

O crédito para reforma é sem dúvidas uma opção muito vantajosa para aqueles que buscam rapidez para o início ou término de sua obra. Com a contratação do capital, que é oferecido hoje no mercado por diferentes bancos digitais e fintechs, todo o processo acontece de maneira segura e transparente.

Na fintech CashMe, por exemplo, o empréstimo com garantia de imóvel é oferecido ao consumidor com os juros mais baixos do mercado e um longo prazo para pagamento de até 240 meses. 

Organizamos abaixo, alguns dos cuidados que você deve ter e falamos sobre os benefícios que você tem ao contratá-lo. 

Ele pode ser uma armadilha?

Cuidado com o local que você procura para saber sobre empréstimos e créditos. Algumas financeiras, além de quererem saber o motivo pelo qual as procura, acabam se aproveitando da situação em que você se encontra.

Elas podem até lhe oferecer propostas ou aceitar o seu pedido, mas sempre deve-se atentar às taxas e aos juros cobrados pelo serviço. Alguns locais podem chegar a cobrar taxas abusivas que batem até 27% em cima do valor da proposta. Obrigando a você, cidadão, que pague mais de um quarto da proposta somente em juros!

Utilizar do momento que as pessoas precisam de ajuda para benefício próprio é errado. Quando buscamos recurso financeiro com alguma finalidade é porque não dispomos desta quantia, e não deveríamos ser abusados apenas por este fato.

Apresentaremos agora mais algumas observações que você, como devedor, deverá tomar ao procurar um local para fazer uma solicitação de crédito. Começando por:

Avalie a sua renda

Se informe antes para fazer o empréstimo ou pedir crédito para a reforma. Foto: Getty Images.Se informe antes para fazer o empréstimo ou pedir crédito para a reforma. Foto: Getty Images.

Antes de sair à procura, calcule o total da sua renda e veja quanto dela você pode disponibilizar para pagar um empréstimo financeiro. Deve-se sempre ter em mente o valor ao se fazer uma proposta para alguma credora. No caso de empréstimos, não se pode fazer dívidas que excedam mais de um quarto da renda total daquele que procura realizá-lo.

Avalie bem a sua situação financeira para que o empréstimo não venha a prejudicá-lo. O que você está buscando aqui é erguer um sonho, e não se afundar em dívidas que apenas se tornam cada vez maiores.

Bolas de neve começam pequenas e acabam por se tornarem grandes. Qualquer descuido e sua situação financeira se tornará tão grave que você se verá na posição de pedir outro empréstimo para quitar o atual.

Contabilizando

Avaliada a sua situação financeira, faça uma busca no mercado comercial, varrendo as diversas opções que o mesmo tem a lhe oferecer para evitar gastos desnecessários.

Isto o ajudará a manter o controle quando for pedir um empréstimo, mantendo sempre sua proposta à risca daquilo que você irá, realmente, gastar.

De nada adianta obter um valor maior de aporte se não existem as condições de pagá-lo. Gastar o estritamente necessário evita fazer com que a dívida saia do controle e você tenha seu nome somado a lista do Serasa.

Coloque tudo em um papel e faça a somatória total. Com o preço definido em mão, vá até a credora e realize a proposta. Avalie as condições que eles lhe darão, assim como a taxa de juros que será cobrada em cima do valor solicitado.

Tome o seu tempo

Todo o contrato deve ser lido, e esse aqui não é diferente. Tome todo o seu tempo lendo e relendo antes de assinar e efetuar a negociação do aporte. Cada dúvida que surgir, pergunte ao atendente. Se este não souber lhe responder, peça para conversar com o gerente.

Lembre-se, é do seu dinheiro e da sua credibilidade que estamos falando, então, todo cuidado é pouco. A pessoa que o atender poderá, eventualmente, demonstrar algum nervosismo sob a situação, mas não se preocupe.

Uma vez que não tenham ficado dúvidas em relação às taxas ou outros ítens do contrato, então você estará pronto para efetuar a negociação. Ciente das taxas e dos juros que a credora irá cobrar em sua proposta, tenha ciência de já ter planejado o valor mensal da parcela incluindo estes dois fatores.

Evite atrasos

De nada adianta obter um valor maior de aporte se não existem as condições de pagá-lo. Foto: iStock.De nada adianta obter um valor maior de aporte se não existem as condições de pagá-lo. Foto: iStock.

Algumas credoras pelo mercado afora torcem de certa forma pelo atraso do pagamento pois afinal isso pode significar que mais dinheiro entrará na conta delas.

Então, atente-se à data de pagamento e mantenha-o regular para evitar surpresas no mês seguinte. O ideal é que você já disponha do valor a ser pago antes do dia de vencimento da parcela.

Alguns lugares também podem lhe oferecer descontos se a mesma for paga antes ou até se for paga mais de uma vez. Estes detalhes também podem ser levantados enquanto se assina o contrato.

Em caso de pagamento atrasado, tente fazer com que isso se mantenha pelo mínimo de dias possível. O juros recorrentes aumentam conforme os dias passam. Se não tiver outra opção a não ser atrasar, procure não ultrapassar 2 dias, evitando assim prejuízos maiores.

***
Da Redação.

A aeração do solo é uma das condições básicas para o desenvolvimento da planta. Para um belo gramado, ele deve ser devidamente cuidado, fertilizado e regado. A aeração pode ajudar nisso, permitindo que o ar e a água penetrem na grama e você se livrará desse elemento e poderá tornar seu gramado saudável.

A aeração do solo é frequentemente negligenciada ou subestimada, diz o Sistema de Observação da Terra (EOS - Earth Observing System). Influencia as altas colheitas e a vegetação saudável. A aeração fornece oxigênio para a zona das raízes e permite a circulação adequada do ar no subsolo.

O que é aeração de solo?

A aeração do solo é a troca rápida de oxigênio e dióxido de carbono entre o solo e a atmosfera para evitar a deficiência de oxigênio ou a toxicidade do dióxido de carbono no ar do solo. O solo com uma taxa alta de aeração contém oxigênio suficiente para respirar das raízes e micróbios aeróbicos.

A aeração do solo diminui durante o cultivo ou o alagamento da água. Para um solo bem arejado, a quantidade de oxigênio que entra no solo é muito importante.

 Por que o solo precisa ser arejado?

Os solos bem agregados contêm macroporos suficientes para manter o solo arejado para o crescimento e funcionamento adequado das raízes e microorganismos. Após uma forte chuva, os micrósporos são preenchidos com água, mas o solo ainda pode conter alguma quantidade de ar dissolvido na água. Assim, os microrganismos podem crescer apenas por um curto período de tempo, após o qual o solo deve ser drenado para que os micrósporos sejam novamente enchidos com ar.

Efeito da aeração do solo. Imagem: EOS.Efeito da aeração do solo. Imagem: EOS.

Portanto, o conteúdo de oxigênio do solo superior é maior do que o do subsolo. Como o solo superior contém muito mais espaço de micrósporos do que o subsolo, a oportunidade de troca gasosa é maior no solo superior do que no subsolo.

Quando a matéria orgânica é adicionada ao solo, ela é prontamente decomposta pelos microorganismos do solo para liberar o conteúdo de dióxido de carbono do ar do solo.

Os micrósporos são preenchidos com água imediatamente após chuvas fortes quando o nível de oxigênio cai para perto de zero. Quando o solo é drenado artificialmente novamente, os micrósporos são enchidos com ar e o conteúdo de oxigênio do solo aumenta.

Métodos de aeração do solo

A aeração do solo é uma das condições básicas para o desenvolvimento da planta. Foto: Getty Images.A aeração do solo é uma das condições básicas para o desenvolvimento da planta. Foto: Getty Images.

O objetivo da aeração do solo é fornecer oxigênio ao solo superior para torná-lo mais adequado e apropriado para as raízes e microorganismos das plantas no solo. A aeração é realizada por vários métodos, cada um depende do tamanho do terreno e das especificidades do terreno. Os métodos mais comuns são aeração de picos, aeração de núcleo e aeração líquida.

Aeração de pico

Este método de aeração resulta na menor perturbação do solo ao criar buracos para que o ar penetre. Este método cobre uma área relativamente pequena devido ao escopo limitado das ferramentas utilizadas, que incluem sapatas de aeração do solo, dentes, rolos e acessórios de cortador de relva. Todos eles contêm espigões para perfurar o solo. As três primeiras opções envolvem operações a pé ou manuais. Por um lado, eles são os menos complicados. Por outro lado, elas exigem uma força física considerável. Os acessórios da cortadora requerem menos esforço físico, pois são adaptados ao funcionamento da máquina.

Aeração de cordas

O método é especialmente adequado para solos argilosos compactados. A camada superior do solo tem um núcleo de argila, raízes e palha, e este método puxa partes do solo, deixando-as na superfície. A aeração do núcleo torna o campo um pouco lamacento, mas aumenta a troca de gases, oxigena a zona radicular, aumenta a infiltração de água, melhora a estrutura do solo e incorpora matéria orgânica.

O equipamento de remoção do núcleo inclui aeradores manuais e acessórios de cortador de relva.

Aeração líquida

O uso de líquidos neste método promove a aeração de uma forma diferente. Os aeradores líquidos consistem em um agente molhante e nutrientes para a biota que vive no solo. Os agentes umectantes melhoram a infiltração e a água atinge níveis mais profundos no perfil do solo. Isto também permite que os microorganismos cavem mais fundo e melhoram a aeração do solo. Isto permite que a água se infiltre ainda mais baixo, o que promove o desenvolvimento radicular.

Pensata final

Os solos bem agregados contêm macroporos suficientes para manter o solo arejado para o crescimento e funcionamento adequado das raízes e microorganismos. Foto: Pixabay.Os solos bem agregados contêm macroporos suficientes para manter o solo arejado para o crescimento e funcionamento adequado das raízes e microorganismos. Foto: Pixabay.

Os fatores e os métodos acima revelam perspectivas diferentes sobre a importância da aeração do solo. A aeração afeta o comprimento das raízes no solo, a decomposição dos fertilizantes e a absorção de nutrientes. Todos estes processos são desacelerados em solos pouco aerados.

***
Da Redação.

O prédio original receberá o nome de sua arquiteta, Lina Bo Bardi, e o novo edifício carregará o nome do primeiro diretor artístico do museu, Pietro Maria Bardi. Imagem: MASP / Divulgação.O prédio original receberá o nome de sua arquiteta, Lina Bo Bardi, e o novo edifício carregará o nome do primeiro diretor artístico do museu, Pietro Maria Bardi. Imagem: MASP / Divulgação.

O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand anuncia neste mês o lançamento do projeto MASP em expansão. O novo projeto almeja equiparar a estrutura física do museu à sua ambição institucional, transformando-o para as próximas gerações.

Trata-se do feito mais significativo na história do museu após a sua transferência da rua 7 de Abril, na sede dos Diários Associados, para a Avenida Paulista, em 1968. Naquela época, a mudança ocorreu para o que o museu tivesse uma sede à altura de sua coleção. O prédio projetado por Lina Bo Bardi (1914-1992), reconhecida pelo conjunto de sua obra com o Leão de Ouro Especial na Bienal de Veneza de 2021, transformou-se em cartão-postal da cidade e em símbolo da arquitetura moderna mundial do século 20.

Foi com a presença da Rainha Elizabeth II e do Príncipe Philip que o novo prédio do MASP foi inaugurado, em 7 de novembro de 1968. Foto: Sivio Correia / Folhapress. Foi com a presença da Rainha Elizabeth II e do Príncipe Philip que o novo prédio do MASP foi inaugurado, em 7 de novembro de 1968. Foto: Sivio Correia / Folhapress.

Como forma de preservar e valorizar a história da instituição com o reconhecimento de seus fundadores, o prédio original receberá o nome de sua arquiteta, Lina Bo Bardi, e o novo edifício carregará o nome do primeiro diretor artístico do museu, Pietro Maria Bardi (1900-1999). Estes nomes, combinados com o da própria instituição, Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, que faz referência ao seu fundador (1892-1968), irão completar a homenagem ao trio fundador do MASP.

Pietro Maria Bardi e Lina Bo Bardi,década de 1950. Foto: Arquivo da Biblioteca e Centro de Documentação do MASP.Pietro Maria Bardi e Lina Bo Bardi,década de 1950. Foto: Arquivo da Biblioteca e Centro de Documentação do MASP.“O MASP passa, assim, pelo maior processo de expansão física da sua história, feito com recursos próprios. Vamos aumentar em 66% a capacidade expositiva do museu, integrando os dois prédios e esse é um investimento muito relevante para a cultura de São Paulo. Acredito que essa expansão consolida o museu e a própria Avenida Paulista como um eixo cultural, quem sabe o mais importante eixo cultural do Brasil, do qual o MASP, sem dúvida, é a âncora”, diz Alfredo Setubal, presidente do Conselho do MASP.

A entrega

Terraço no 1º pavimento. Imagem: MASP / Divulgação.Terraço no 1º pavimento. Imagem: MASP / Divulgação.Com previsão de entrega para janeiro de 2024, o prédio Pietro irá contemplar 14 andares. Estes serão ocupados por cinco galerias expositivas e duas galerias multiuso, representando um aumento de 66% de área expositiva do MASP. O edifício também abrigará restaurante, bilheteria, loja, reserva técnica, salas de aula e laboratório de restauro. Ao final da reforma, a área total do MASP será de 17.680 m² (hoje, são 10.485 m²). Além de aumentar o espaço físico, a nova construção vai ampliar aquilo que o MASP é e já representa nacional e internacionalmente. Os ganhos serão múltiplos: a ampliação de acesso ao público, uma vez que será possível acolher um número significativamente maior de visitantes; uma nova e melhor estrutura para oferecer cursos e programas públicos (oficinas, palestras, seminários, formação de professores etc.); um ambiente maior e equipado com as últimas tecnologias para o restauro e preservação de obras icônicas, que, somadas às aquisições feitas ano a ano, contam histórias da arte cada vez mais diversas, inclusivas e plurais.

Mudanças

Conexão subterrânea. Imagem: MASP / Divulgação.Conexão subterrânea. Imagem: MASP / Divulgação.

Bilheteria no 1.o subsolo. Imagem: MASP / Divulgação.Bilheteria no 1.o subsolo. Imagem: MASP / Divulgação.

Galeria no 3º pavimento. Imagem: MASP / Divulgação.Galeria no 3º pavimento. Imagem: MASP / Divulgação.Por limitações físicas, pouco mais de 1% do acervo do museu é exposto atualmente. No total, o MASP possui mais de 11 mil obras entre pinturas, esculturas, objetos, fotografias, vídeos e vestuário de diversos períodos, que abrangem a produção europeia, africana, asiática e das Américas. Esse é mais um dos aspectos que será impactado positivamente com a inauguração.

“O acervo do MASP vem crescendo. Nosso plano é que o edifício Lina seja dedicado à exposição das obras que pertencem à coleção do museu, sobretudo nas áreas do subsolo. Já as novas galerias deverão ser ocupadas com exposições temporárias, todas com pé-direito alto e equipadas com sistema de climatização e iluminação de última geração”, conta Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP. “Atualmente, a programação do museu tem um cronograma apertado e esses espaços vão proporcionar um respiro maior no calendário e uma melhor organização na narrativa das exposições.”

Laboratório de conservação do 8.o pavimento. Imagem: MASP / Divulgação.Laboratório de conservação do 8.o pavimento. Imagem: MASP / Divulgação.O edifício Pietro permitirá ainda complementar e qualificar as instalações técnicas do museu, com a expansão de áreas como depósitos e docas, que hoje impõem limites concretos à gestão operacional. Uma parte essencial do projeto é a interligação subterrânea entre os dois edifícios, que será feita sob a rua Prof. Otavio Mendes – já autorizada pela Prefeitura de São Paulo, com publicação em decreto municipal. Outra transformação importante será a transferência da bilheteria para o prédio Pietro, liberando o vão livre e devolvendo a este espaço a sua utilização como praça pública, uso defendido por Lina Bo Bardi desde que idealizou a atual sede do MASP.

Café e restaurante no térreo. Imagem: MASP / Divulgação.Café e restaurante no térreo. Imagem: MASP / Divulgação.

Escola no 8.o pavimento. Imagem: MASP / Divulgação.Escola no 8.o pavimento. Imagem: MASP / Divulgação.

O edifício Pietro terá os pavimentos junto ao chão totalmente transparentes, em diálogo com o vão livre, e os andares superiores revestidos com chapas metálicas perfuradas e corrugadas, que irão permitir uma imagem monolítica sem inviabilizar as vistas da paisagem e a entrada de luz natural através de aberturas estrategicamente posicionadas, de acordo com as necessidades dos espaços internos.

O custo do projeto é da ordem de R$ 180 milhões e será totalmente financiado por doações de pessoas físicas – seguindo a característica que o MASP possui desde sua fundação de engajar a sociedade privada nos mais diversos projetos. “Viabilizar a construção desse prédio por meio de doações é o coroamento do novo modelo administrativo do MASP, uma instituição que tem seus pilares calcados na sociedade civil”, afirma Heitor Martins.

O projeto arquitetônico é uma coautoria de Júlio Neves com o escritório METRO Arquitetos Associados, dos sócios Martin Corullon e Gustavo Cedroni.O empreendimento buscará soluções sustentáveis de modo a diminuir a pegada de carbono.

Leia também: 

***
Com informações do MASP.

O evento-teste pretende promover e refinar protocolos seguros para a retomada das atividades com público. Foto: FIC / Divulgação.O evento-teste pretende promover e refinar protocolos seguros para a retomada das atividades com público. Foto: FIC / Divulgação.

No próximo final de semana, a cidade de São Paulo irá sediar o primeiro evento-teste depois da flexibilização das medidas de prevenção ao Covid-19. A Feira das Feiras - Criativas – SP acontecerá no Memorial da América Latina no sábado e domingo das 11h às 19h e servirá como parte da retomada das atividades com público, respeitando os protocolos de segurança previstos no Plano São Paulo, com apoio do Governo do Estado e Prefeitura de São Paulo.

O evento-teste pretende promover e refinar protocolos seguros para a retomada das atividades com público. Mais de 100 expositores e 16 feiras paulistanas de economia criativa estarão na área externa e sob a marquise do Memorial. Esta primeira edição marca a retomada do setor cultural e de economia criativa, ambos de grande importância para a cidade e o Estado de São Paulo.

O público será limitado por horário e não haverá bilheteria presencial. Tanto para o público quanto aos expositores, o uso de máscara e a testagem serão obrigatórios. A venda dos ingressos será feita exclusivamente pela internet e com horário definido. Os participantes também serão monitorados após o evento para acompanhamento da segurança epidemiológica por meio eletrônico e retestagem de grupo amostral. Os resultados trarão insumos para decisões de políticas públicas.

Mais de 100 expositores e 16 feiras paulistanas de economia criativa estarão na área externa e sob a marquise do Memorial. Foto: FIC / Divulgação.Mais de 100 expositores e 16 feiras paulistanas de economia criativa estarão na área externa e sob a marquise do Memorial. Foto: FIC / Divulgação.

“Com quase 100% da população adulta vacinada, com pelo menos a primeira dose, chegou o momento da retomada econômica consciente aguardada por empresários e trabalhadores deste setor, que foi duramente impactado pela pandemia”,afirma a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Aline Cardoso.

De acordo com uma pesquisa realizada no ano passado pelo Núcleo de Pesquisa e Inteligência de Mercado da São Paulo Turismo (SPTuris) e o Observatório de Turismo e Eventos, 89% do comércio no setor da economia criativa na cidade de São Paulo, como moda, artesanato, arte, design e gastronomia, é composto por feiras fixas ou itinerantes. Além disso, 61% desses locais registram um ticket médio entre R$ 51 e R$ 250 e 56,5% das atividades são realizadas em espaços culturais.

Poucos meses após o início da pandemia, em junho de 2020, a FGV publicou o “Relatório Sobre os Impactos Econômicos da Covid-19: Economia Criativa” que, naquela época já apontava que 88,6% do setor registrava queda no faturamento devido ao isolamento social e 66,4% dos empresários do setor se enquadravam em atividades que seriam totalmente interrompidas.

Artesãos participam da Feira

Tanto para o público quanto aos expositores, o uso de máscara e a testagem serão obrigatórios. Foto: FIC / Divulgação.Tanto para o público quanto aos expositores, o uso de máscara e a testagem serão obrigatórios. Foto: FIC / Divulgação.Para dar visibilidade aos artesãos, mestres e grupos produtivos, a SUTACO (Subsecretaria de Trabalho Artesanal nas Comunidades), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, e o Revelando SP, vinculado à Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, se juntam em uma parceria para participar da Feira das Feiras Criativas-SP, para preservar e difundir o conhecimento e o potencial econômico dessas mãos que esculpem, tecem e formam o Estado, perpetuando tradições e revelando histórias.

Representantes da Coordenadoria de Desenvolvimento Econômico, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, participam da feira com informações sobre o programa Mãos e Mentes Paulistanas. O programa municipal tem como objetivo melhorar a atividade econômica e social de empreendedores artesanais e manualistas paulistanos por meio de diversas atividades como feiras e qualificações que fortalecem a rede de atuação deste grupo, promovendo o acesso ao mercado e o desenvolvimento econômico local.

Serviço



Feira das Feiras Criativas – SP.
Data: 21 e 22 de agosto de 2021 (sábado e domingo).
Horário: Das 11h às 19h.
Local: Memorial da América Latina.
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda.
Entrada: R$ 10. 

Ingressos com antecedência e hora marcada pela plataforma Sympla:

• Primeiro dia.

• Segundo dia.

***
Com informações da SECOM / PMSP.