Sem fritas nem pagamento no cartão, lanchonete na Zona Sul faz 50 anos - São Paulo São

A nostalgia começa no x-salada caseiro, servido no pratinho colorido, acompanhado do refrigerante de garrafinha de vidro, e termina na forma de pagamento: dinheiro ou cheque. Fiado e cartão de crédito, "só amanhã". Há exatos 50 anos, completados neste domingo (30), a Lanchonete do Seu Oswaldo resiste no Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo.
 

O modelo de negócio segue inabalavelmente lucrativo (mesmo em tempos de crise econômica), sustentado por uma clientela fixa e fiel, que aceita satisfeita as opções de pagamento tão enxutas quanto o cardápio – batatinha frita não acompanha.

“Nossa clientela pede que a gente não mude nada. Querem essa cara, que a gente não fique inventando novidades, outras receitas. É consciente. A gente não mexe porque é isso que nos diferencia dos demais”, diz Marta Paollichi, filha de Oswaldo.

Herdeira do estabelecimento, ela assumiu a administração da lanchonete após a morte do pai, em 2008. No ano seguinte, investiu na ampliação do espaço para comportar e atender melhor a freguesia, que aprovou a proposta, mas não se intimidou em palpitar na reforma. “As pessoas pediam para não mudar o modelo da lanchonete. Não queriam que mexessem nem no tipo do azulejo”, recorda.

Hambúrguer servido no pratinho colorido e garrafinha de vidro são marcas da lanchonete. Foto: Marcelo Brandt / G1.Hambúrguer servido no pratinho colorido e garrafinha de vidro são marcas da lanchonete. Foto: Marcelo Brandt / G1.

Antiga fábrica de armários para banheiro, a lanchonete nasceu de uma aposta de Oswaldo. Com a queda nas vendas e pressentindo a falência do negócio iniciado por seu pai, ele resolveu investir em uma receita caseira de hambúrguer, produto que não era, até então, ofertado na região, e mudar completamente de ramo. "Minha vó dizia que ele era louco, e achava que ele ia transformar a fábrica em um bar. Ele só falava: 'Vai por mim, vai dar certo'. E deu mesmo, muito mais do que ele imaginava", relata Marta.

Oswaldo passou um ano testando a receita do molho de tomate e da maionese, mas, no dia 30 de outubro de 1966, influenciado pela onda gringa, abriu as portas com um nome importado, que fazia propaganda de um outro lanche, o cachorro-quente, inicialmente também vendido no local.

“Naquela época, as poucas lanchonetes que existiam, o nome geralmente era em inglês. Era uma coisa da influência que vinha dos EUA. Mas nunca ninguém chamava a lanchonete pelo nome que era, 'Good Dog'. Sempre falavam de comer um lanche no Seu Oswaldo”, conta Marta.

Manoel Gomes trabalha há 22 anos na Hamburgueria. Foto: Marcelo Brandt / G1.Manoel Gomes trabalha há 22 anos na Hamburgueria. Foto: Marcelo Brandt / G1.

E foi o produto inicialmente coadjuvante que o consagrou. Recordista de afagos na imprensa especializada, o jeito caseiro e bem temperado da carne, além das receitas secretas do molho de tomate e da maionese, rederam homenagem até da concorrência. A robusta rede Lanchonete da Cidade se diz inspirada pelo sanduíche criado por Oswaldo na década de 60.

Para celebrar a data, o estabelecimento finalmente ganhou um letreiro. Desde o dia 21, um luminoso informa aos desavisados onde está o famoso x-salada do Ipiranga. O antigo letreiro foi retirado quando a Lei Cidade Limpa entrou em vigor, em 2007, e Oswaldo deixou o estabelecimento sem placa.

A filha de Oswaldo e o gerente geral, Manoel Gomes, figura fundamental na manutenção no negócio e funcionário há 22 anos, resgataram uma antiga frase criada pelo fundador da lanchonete e desenvolveram o novo logotipo. “Hambúrguer do seu Oswaldo, sabor e tradição desde 1966”.

"A gente se tornou uma referência quando se fala em hambúrguer tradicional. As pessoas vêm para comer o hambúrguer no pratinho colorido, tomar o refrigerante na garrafa de vidro. É nostálgico. Em time que está ganhando não se mexe", defende Gomes.

A lanchonete ganhou novo letreiro no aniversário de 50 anos. Foto: Marcelo Brandt / G1.A lanchonete ganhou novo letreiro no aniversário de 50 anos. Foto: Marcelo Brandt / G1.

 

X-salada caseiro é lanche mais pedido na tradicional Hamburgueria. Foto: Marcelo Brandt / G1.X-salada caseiro é lanche mais pedido na tradicional Hamburgueria. Foto: Marcelo Brandt / G1.

***
Lívia Machado do G1 São Paulo.
 


APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio